Uma poesia para o vazio


Me dizem “aproveite a festa”
Esta aquela que não como do bolo,
Perdido, “se vos serve de consolo
Agradeça por estar aqui, sem choro”
Afinal, havemos todos de sofrer na poesia lida
Não absorvida, apodreçamos todos nesta vida

Niilista pacifista, entorpecido contentamento
Me falta alento, assim me sento
No sangue que sobe, sem sentimento
Logo, no meio do caos, contemplo
Ainda temos salvação?

Essa população imersa em obsessão?
Atenção intensa no grande irmão
As telas dominam nossa atenção
Assim são os “salvadores” da nação?

Quiçá eu seja só um monstro
Como vós
Mas minha voz
Não se afogará nos lençóis
De ganância, ser atroz
Me recuso, minha consciência
Ainda existe nesse mundo em decadência

2 comentários em “Uma poesia para o vazio

  • 21 de dezembro de 2018 em 17:08
    Permalink

    “…No sangue que sobe, sem sentimento…
    …As telas dominam nossa atenção…”

    Que profundo👏🏻

    Resposta
    • 12 de fevereiro de 2019 em 22:32
      Permalink

      A gente tenta soar mais profundo ne haha
      Que bom que gostou e obrigado por ler!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *